fbpx

O objetivo de uma empresa é o lucro. Isso todo mundo sabe. E se você é empresário, certamente reflete muito sobre seus lucros, não é mesmo? E se disséssemos a você que é possível ter um aumento considerável nos lucros do seu supermercado…? “Bobagem, não existe fórmula mirabolante”, você provavelmente deve ter pensado. Não mesmo! Mas vamos dar algumas dicas de gestão e organização de retaguarda que fazem a diferença na hora de fechar o balanço mensal. Acompanhe!

Gestão assertiva

Existem algumas situações que não são físicas em uma loja, mas que estão intimamente ligadas ao sucesso do negócio. Primeiramente é preciso ter controle do giro de produtos e conhecer a capacidade do mix de produtos, de forma a atender com eficiência seus clientes.

Aqui pode acontecer de haver uma falsa ideia do “tem que ter”, o que faz com que algumas lojas tenham roupas, bijuterias e outros produtos que atrapalham o negócio, pois ocupam espaço de produtos que poderiam gerar mais rentabilidade. Tenha foco na sua loja, no propósito de vendas dos produtos.

Isso está diretamente ligado ao planejamento da margem de lucro. Segundo estudos dos setores representativos do segmento, a margem de lucro efetiva média de um supermercado gira em torno de 4% à 6%. 

Sendo assim, quando sabe-se que a margem de lucro em um cenário “perfeito” já é baixa, a atenção que deve ser apresentada no setor supermercadista, se faz inúmeras vezes maior que em outros ramos com maiores margens de lucro, pois um simples erro no cálculo do preço de venda, pode levar a um prejuízo no período sem precedentes.

O cálculo do preço de venda dos produtos – fator que influencia diretamente na lucratividade de um supermercado – deve sempre ser realizado em conjunto pelos seguintes setores: 

  • Compras;
  • Setor financeiro; 
  • Setor tributário;
  • Setor contábil.

Dessa forma, vê-se a importância da obtenção dos dados integrais necessários para que um possível erro não seja gerado. Contudo, devemos nos atentar que o erro pode partir de dois pontos: 

  • Preço de venda menor: possibilitando a origem de um provável prejuízo financeiro; 
  • Preço de venda maior: capaz gerar diminuição na competitividade em relação a grande concorrência ofertada pelo mercado nacional.

Comprar melhor para vender melhor

Acabamos de falar sobre a atenção com o preço de venda dos produtos. Mas um dos segredos da área é comprar melhor. As formas de diminuir gastos e aumentar o lucro no varejo não são muitas (não existe fórmula mágica, lembra?), por isso, quanto melhor conseguir comprar, mais vantagens terá.

 Ao comprar melhor, o varejista consegue duas formas de obter lucro. A primeira é comprar por um preço baixo e vender com uma margem de lucro maior. A segunda é comprar por um preço baixo e vender também por um preço mais baixo, dessa forma ele consegue atrair e fidelizar sua clientela. O segredo do negócio é saber e conseguir comprar bem.

Mas, para comprar melhor, existem alguns pontos que você precisa saber, além de entender que enfrentará algumas dificuldades no processo.

No varejo, o processo de compra de mercadorias começa com a definição dos produtos e as respectivas quantidades conforme o giro e necessidade de estoque. O processo de cotação de preços, análise da melhor oferta e a formalização do pedido de compra encerra a segunda fase. Na sequência, o fornecedor emite a nota fiscal e providencia o envio das mercadorias.

É aí que erros podem surgir. Procedimentos simples, como o recebimento e cadastramento das mercadorias no estoque, podem virar um pesadelo para o varejista. E já vimos acontecer de tudo: dados cadastrais inválidos; divergências entre preço negociado e informado na nota; divergência de quantidade; inconsistência sobre desconto oferecido na compra; local de entrega divergente do informado etc.

Sendo assim, elencamos alguns passos para minimizar a quantidade de erros:

Invista em tecnologia

Para um bom processo de compras é indispensável investir num sistema que automatiza processos comuns, como o cadastro de produtos de um supermercado. A cotação de preços, os dados de conteúdo dos produtos, impostos e a apuração fiscal também são itens que podem ser registrados por um bom software de gestão. É o que a Alerta Fiscal faz! Ao contar com uma ferramenta tecnológica como a nossa você terá informações precisas de forma rápida no momento da negociação com os fornecedores.

Faça a revisão do cadastro de produtos

Tenha em mente que seu cadastro de produtos precisa ser atualizado constantemente. O cadastro correto e padronizado dos produtos da loja é de vital para o processo de comprar melhor. Isso porque, antes de pesquisar qual o melhor fornecedor, você precisa analisar e saber o que tem na empresa para fazer o pedido correto de acordo com a  movimentação dos itens dentro do seu supermercado. 

Assim, você analisará, mais facilmente, os itens necessários de reposição e não correrá risco de comprar sem necessidade. Uma dica para o cadastro dos produtos é sempre cadastrar e analisar do macro para o micro. 

Sem um bom cadastro de produto, o risco de perder dinheiro é enorme. O cadastro de produtos demanda uma manutenção constante, dado que novos produtos são criados e outros saem do mercado. Além disso, o cadastro de produtos influencia diretamente nas operações do software. Um cadastro feito de forma errada ou não padronizado, além de dificultar o processo de compras, gera problemas no estoque. 

Lembre-se que divergências entre a tributação dos produtos constante na nota fiscal e o cadastro da loja ocorrem frequentemente. 

Para isso, a Alerta Fiscal oferece consultoria profissional para apuração de tributos dos produtos de forma a auxiliar sua empresa casos de divergência. Pense que uma entrada de nota fiscal com erro de tributação leva a um aproveitamento de impostos errados e, consequentemente, aumenta o risco de autuações. Existem serviços e ferramentas disponíveis no mercado que fazem a leitura do cadastro de produtos por código EAN/NCM e indicam quais são os impostos corretos.

Faça um planejamento tributário

O planejamento tributário é extremamente eficaz para analisar a grande quantidade dos impostos pagos por empresas e identificar oportunidades de redução de carga tributária, inclusive verificando se foi efetuado o pagamento a maior de impostos.

Para supermercados, é indicado realizar um planejamento tributário periódico para a manutenção da lucratividade, visto o imenso volume de mercadorias comercializadas, onde cada uma possui uma tributação diferenciada.

Para que seja possível executar um planejamento tributário em seu supermercado conte sempre com profissionais especializados em seu segmento, pois deve-se conhecer a fundo a legislação aplicável em cada operação fiscal, visto que, a interpretação errônea das mesmas pode acarretar um prejuízo imensurável para o negócio.

Sendo assim, caso exista a possibilidade ou desconfiança de que o supermercado possa ter realizado pagamentos de impostos indevidos, é importante que seja desenvolvido um trabalho de revisão fiscal. Este método é capaz de criar grande “folga” devido a possibilidade do direito de apropriação em forma de créditos, o que – por um período – trará grande economia a empresa e aumento da lucratividade.

Previna-se!

Lembre-se que a prevenção continua sendo sua principal aliada no combate a autuações fiscais. Corrigir os erros de tributação em cadastros de produtos faz toda a diferença, pois a certeza da informação correta na entrada da nota fiscal garante o sucesso na precificação, com a consequente análise dos custos e segurança no envio das informações para o Fisco.

Ter a equipe treinada e contar com ferramentas que automatizem os processos é o caminho para o sucesso. Além de conseguir identificar quantos itens de cada produto ainda estão disponíveis no estoque, uma ferramenta de gestão agiliza processos, otimiza tempo e garante uma assertividade quanto às informações do seu negócio.

E a Alerta Fiscal pode fazer tudo isso por você! Quer saber mais? Entre em contato e veja nossas soluções!

Por Atracto