fbpx

Observamos uma curva crescente no surgimento de minimercados em bairros e cidades brasileiras e muito se deve à mudança de comportamento do consumidor que tem optado por compras fracionadas e em pequenas quantidades evitando o desperdício e fomentando a economia. 

 

E diante de uma concorrência que não para de crescer, ter uma excelente gestão será a chave para manter o seu negócio funcionando e, mais do que isso, gerando o retorno que você tanto deseja. 

 

O que entendemos por minimercado? 

 

Objetivamente é um comércio bem parecido com um mercado ou supermercado, mas em proporções menores. Oferece geralmente os produtos básicos de consumo, principalmente quando falamos de alimentos e higiene. E dependendo do lugar que se encontra pode até trabalhar com mercadorias mais específicas.

 

Mas o fato central é que por se tratar de um comércio menor, estamos lidando não só com uma variação menor de ofertas de produtos, mas também uma quantidade reduzida de itens disponíveis. 

 

Isso até pode passar ao empresário a falsa ideia de “ter menos trabalho” em decorrência do perfil do seu negócio. Mas o que queremos te mostrar é que a necessidade de dedicação e investimento é, em alguns aspectos, igual aos grandes centros. 

 

Sem contar que o fato de trabalhar com mercadorias reduzidas vai te exigir um controle maior dos processos diários para evitar desperdícios, prejuízos e frustrações dos consumidores, caso não consiga suprir as demandas exigidas por sua clientela. 

 

Vamos te apresentar 5 dicas que te ajudarão na gestão do seu minimercado e na fluidez do negócio como um todo. 

 

1 – VISÃO GERAL DE UM MINIMERCADO 

 

O Sebrae divulgou alguns pontos-chaves sobre uma visão geral do funcionamento de um minimercado que precisam ser levados em conta. Veja os pontos que ele trata:

 

Localização

A escolha do ponto comercial é fundamental para o bom desempenho das vendas. Umas das grandes vantagens dos minimercados é a relação de proximidade com os clientes e vizinhança.

 

Atendimento

Para realizar um bom atendimento, conheça seus clientes, pois eles não são iguais e possuem necessidades diferentes.

 

Relacionamento

Investir em relacionamento com os clientes pode aumentar suas vendas e fazer com que eles façam recomendações positivas ao seu minimercado.

 

Comunicação Visual

Um estabelecimento mal iluminado e sem uma comunicação visual adequada não oferece prazer durante as compras e faz com que o cliente tenha mais dificuldade em encontrar o que necessita.

 

Limpeza

Clientes valorizam ambientes limpos e com a adequada manutenção. Além disso, o minimercado deve estar atento às exigências da vigilância sanitária do seu estado e município para não implicar em multas e autuações.”

 

2 – PLANEJAMENTO FINANCEIRO 

 

Agora que você já possui uma visão geral das necessidades do seu negócio é hora de começar a colocar a mão na massa efetivamente. E tudo começa pelo planejamento financeiro.

 

“Quando falamos em gestão financeira estamos tratando de um conjunto de procedimentos administrativos, fiscais e tributários que envolvem análise, controle e planejamento de todas as atividades que englobam as finanças da sua empresa. 

 

Quais aspectos precisam ser observados dentro de uma gestão financeira de qualidade? 

 

Podemos citar aqui controle de caixa, estoque, logística de estoque, classificação correta de produtos e cargas tributárias. Além é claro de muitos outros pontos.” – Leia mais sobre Gestão Financeira CLICANDO AQUI

 

3 – ATENÇÃO AO CONTROLE DE ESTOQUE

 

Para o empresário do nicho de minimercados ter um estoque sob controle é vital para o andamento das atividades. Uma vez que você trabalha com uma reserva reduzida e por vezes bem variada. 

 

Além disso, é importante dar atenção não só para as mercadorias, mas também levar em conta impostos, tributos e alíquotas aplicadas nos processos de compra e venda. Você precisa ter um olhar 360º. 

 

“Mapeie, monitore e classifique seus fornecedores. Ao ter os fornecedores “certos” e mantendo um controle de dados sobre entrada e saída de mercadorias, você poderá estabelecer um estoque ajustado alinhando a previsão de demanda com o prazo de entrega. Esse é uma dica valiosa para adotar um controle de estoque otimizado. Trabalhe com um estoque suficiente para atender as vendas e ter a reposição necessária no tempo certo. 

 

Aqui é importantíssimo acompanhar o volume de compras bem de perto. Pense que grande parte das perdas de estoque de uma loja está ligada ao desperdício de produtos que são derivados da falta de procura por parte dos consumidores, ou seja, a demora para vender, que gera fim do prazo de validade e ações promocionais sem sucesso.

 

Dessa forma, o setor de compras deve ser um dos responsáveis por evitar as perdas, estabelecendo um processo de aquisição de mercadorias baseado na demanda do cliente.

 

Um conselho para otimizar ainda mais o seu estoque é manter um controle separado dos produtos que registram maior saída dos menos vendidos. Geralmente, os menos vendidos trazem maior lucratividade e não podem faltar: costumam ser aqueles mais difíceis de encontrar e que só a sua loja tem. Cuidado para não ficar sem disponibilidade desses produtos, afinal eles podem definir uma estratégia competitiva para o seu negócio frente aos concorrentes.” – Trecho do artigo COMO CONTROLAR O ESTOQUE E DIMINUIR AS PERDAS NO SEU NEGÓCIO?

 

4 – FIDELIZE SEUS CLIENTES

 

Como já sabemos, umas das características de um negócio como um  minimercado é estar localizado em bairros e pequenos centros o que automaticamente fomenta o surgimento de uma clientela “fixa”. Por esse motivo, fidelizar os seus clientes é muito importante.

 

Quando o consumidor é bem atendido e sai satisfeito, as chances dele retornar são muito grande. Esse movimento de investir na fidelização, inclusive, sai muito mais barato ao empresário do que aplicar ações com foco em novos clientes. 

 

Aqui vale se dedicar bastante ao relacionamento próximo, criando ações que incentivem o retorno recorrente dos seus consumidores locais. Eles serão responsáveis pelo marketing boca a boca do seu negócio. 

 

5 – ASSESSORIA FISCAL

 

Normalmente o pequeno e médio empresário está tão preocupado e sobrecarregado com as questões práticas do dia a dia que esquece de se preocupar com o alicerce da empresa que são as finanças. Afinal, sem dinheiro nenhum negócio se sustenta. 

 

Quando você aplica em uma assessoria fiscal, está na verdade investindo em tranquilidade, pois os serviços executados irão garantir que seu negócio esteja funcionando de forma sustentável e dentro da lei.

 

O trabalho executado envolve de forma geral soluções fiscais e tributárias e englobam todo o processo desde análise inicial, traçando caminhos e apontando pontos de melhorias. Além de auxiliar na difícil tarefa de manter suas informações de produtos e, consequentemente, suas obrigações fiscais atualizadas e corretas elaborando um levantamento completo das necessidades para classificação correta de produtos e auditoria nas notas fiscais e demais documentos.

 

A Alerta Fiscal oferece um time de profissionais qualificados para todo o suporte fiscal e tributário que seu minimercado precisa. Fale conosco ainda hoje. 

 

Por Atracto


 

Você também pode gostar do artigo MITO OU VERDADE: PEQUENOS E MÉDIOS VAREJISTAS PRECISAM DE AUXÍLIO DE UMA CONSULTORIA FISCAL PARA EXPANDIR SEUS NEGÓCIOS?