fbpx

Sabemos o quão desafiador é abrir o seu próprio negócio. Mas não basta que ele exista, é preciso se manter ativo e claro, obter lucro, o resultado de todo o seu trabalho. Para te ajudar nessa missão, trazemos hoje dicas para você acertar na gestão da sua loja de materiais de construção. 

 

Dentro desse processo existem inúmeras etapas que vão muito além de colocar a empresa no mundo. Gerenciar um varejo requer conhecimento, dedicação, um olhar crítico e analítico e discernimento para investir tempo, energia e dinheiro no que realmente importa. Não dá para levar algo tão sério como um hobbie e muito menos contar com a sorte. 

 

Esteja você começando agora ou seja em empresário da velha guarda dos negócios é fundamental que se conscientize que a gestão é o coração de uma loja, que se não for bem cuidada te levará ao fundo do poço, contabilizando prejuízos, muitas vezes, irrecuperáveis. E você não quer isso, correto? 

 

O lado positivo é que o cenário é bom já que segundo um levantamento feito pelo Sebrae 81% das empresas abertas nesse segmento estão atuantes e consolidadas há mais de 10 anos. Já a Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco) informa que existem no mercado mais de 141 mil estabelecimentos funcionando. 

 

Mas a pergunta que fica é: será que a sua loja vai entrar para essas estatísticas ou será parte do grupo que não sustenta as portas abertas por mais de 1 ano? O que vai determinar isso será a forma de gerir o seu negócio. Então vem com a gente e saiba quais as principais providências que devem ser tomadas:

 

OLHE COM MAIS ATENÇÃO PARA AS FINANÇAS

 

Quando falamos de gerenciar uma loja, uma das primeiras imagens que vem em nossa mente são números, não é mesmo? Embora o processo não se resuma a isso, eles são, sim, protagonistas desse sistema. Afinal, se a conta não fechar no final do mês, problemas surgirão, gerando uma cadeia de prejuízos e dores de cabeça.

 

Sendo assim, o primeiro passo é fazer um raio-x de toda a situação financeira da loja, desde o fluxo de caixa, folha de pagamento, aluguéis, valor de estoque, tributos e impostos. Colocar tudo na ponta da lápis vai garantir uma visão geral do quadro monetário, abrindo possibilidades de se criar um planejamento financeiro e tributário adequado à sua realidade e que seja efetivo. 

 

 

CONTROLE DE ESTOQUE 

 

“Primeiramente, por controle de estoque entende-se a realização do monitoramento e a análise dos materiais de uma empresa de modo a garantir um bom funcionamento de todas as operações. Assim, uma gestão adequada dos fluxos de entrada e saída permite prever necessidades de compras, reduzir perdas por roubo ou vencimento dos produtos e obter condições de negociação melhores com fornecedores.

 

Dissemos ali em cima que prevenir é melhor que remediar. Pois a prevenção de perdas está ligada aos processos internos da operação do varejista, por isso grande parte das formas de combater tem relação com a melhoria e a criação de rotinas mais cuidadosas de operar a loja.

 

Uma gestão de estoque eficiente traz diversos benefícios para seu comércio. Os principais são:

 

  • Aumento de Vendas: conforme os exemplos relatados acima, mantendo o estoque sempre em dia garante mais vendas.

 

  • Redução de custos: quanto mais produtos você tiver em estoque maior a quantidade de dinheiro parado na sua empresa. Então, manter o estoque no nível correto pode trazer benefícios financeiros significativos para seu comércio.

 

  • Manutenção da qualidade dos produtos: com um estoque desorganizado seus produtos podem ser danificados ou até mesmo perdidos.

 

  • Simplicidade de operação: sem controle de estoque sua operação fica mais complexa. Tarefas simples podem demorar mais, inclusive na frente do cliente, gerando prejuízos.” – Saiba mais sobre controle de estoque clicando AQUI

 

INVISTA NO MARKETING DIGITAL 

 

Você pode estar pensando: o que investir no marketing digital tem a ver com a gestão de uma empresa? Vou te contar que tudo! Quando falamos em gerir algo, estamos também decidindo em quais necessidades iremos empregar nosso capital para ter um retorno e consequentemente manter a empresa viva. E está aqui um ponto de suma importância, entenda o porquê.  

 

“Virou frase comum no mundo dos negócios: as empresas precisam estar no mundo digital. Sim, isso é verdade… uma verdade bastante óbvia, inclusive. Mas já não é tão simples assim. Simplesmente “estar no mundo digital” é quase que falar inglês para o mundo corporativo. É premissa básica! A verdade é que até pouco tempo atrás bastava ter um site (nem sempre tão bem construído), uma página nas redes sociais e atualizações esporádicas que estava tudo ok. No entanto, com cada vez mais gente aderindo ao processo de posicionamento digital, surgiu a necessidade de ir além. 

 

Agora o que é necessidade básica é a produção de conteúdo. É preciso investir na criação de conteúdos relevantes para clientes, colaboradores e o mercado no geral. Afinal de contas, o que mais pode diferenciar uma empresa das outras senão as histórias que ela conta? O seu produto pode até ser copiado, mas as suas experiências, não!” – Fonte site Atracto. 

 

FAÇA A REVISÃO DE CADASTRO DE PRODUTOS REGULARMENTE

 

Este é um ponto sensível nas empresas e ao mesmo tempo constantemente subestimado, mas que no final das contas é responsável por uma diferença e tanto na sua capacidade de economizar e lucrar. 

 

Primeiro vamos fazer um breve resumo sobre o que é cadastro de produtos:

 

Cada produto que você comercializa dentro da sua loja de materiais de construção possui um código que o define, é como se fosse o CPF da mercadoria. E o cadastro de produtos, nada mais é que o “arquivo” onde todas essas informações estão mantidas. 

 

Esse código, também chamado de classificação fiscal, existe para identificar o tipo e grupo de mercadoria para que a tributação adequada seja aplicada de acordo com sua especificação, podendo ser submetida aos impostos como ICMS, PIS, COFINS e do IPI, se o mesmo está sujeito a substituição tributária, se é isento etc.

 

Esta operação como um todo se torna um pouco complexa, uma vez que o código de produto traz informações de suma importância, definindo uma linha de categorização que pode ser mercadoria para revenda, matéria prima ou item para consumo. 

 

Entende como esse ponto é crucial? Uma vez feito o cadastro errado do código da mercadoria, você está sujeito à uma série de situações desagradáveis como ser tributado erroneamente para mais, o que te leva a pagar impostos indevidos. Na prática além de prejuízo financeiro, isso pode te gerar um passivo tributário cobrado futuramente pelo Fisco. 

 

E é justamente para evitar tantos transtornos que a revisão tributária é uma fatia essencial na gestão da sua loja. A Alerta Fiscal possui um sistema de revisão e classificação do cadastro de produtos, que tem como principal objetivo impedir o desperdício de dinheiro. 

 

Alguns dos itens para a revisão e classificação do cadastro de produtos realizados são: correção do NCM aplicado aos produtos; cadastro das operações por CFOP; correção do CSOSN; correção dos CST a serem utilizados nas vendas; adequação e atualização das alíquotas dos tributos e correção do CEST.

 

Com a revisão de cadastro você consegue identificar onde estão os erros que drenam o caixa da empresa, como duplicidade de item no cadastro, vigência expirada, tributação incorreta, divergência no tipo do item, entre outros. 

 

DICA EXTRA 

 

O Sebrae elencou alguns outros fatores que também podem ajudar a sua empresa, vale a pena estudar sobre. São eles: 

 

Posicionamento de mercado;

 

Gestão de produtos;

 

Controle financeiro;

 

Gestão de processos. 

 

Comece agora mesmo a gestão da sua loja de material de construção e obtenha o sucesso que você tanto deseja. 

 

Por Atracto


 

Você também pode gostar do artigo 5 DICAS PARA EXPANDIR SUA LOJA DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO