fbpx

Em meio à crise que estamos vivendo, um ponto que deve ter total atenção dos empresários, sem dúvida nenhuma, é a gestão de estoque do seu comércio e as demandas que esse processo envolve. Esse pode ser um fator crucial para determinar o futuro da sua empresa. 

 

Seja você dono de um pequeno, médio ou grande negócio, o fato é que neste momento existe muita especulação quando o assunto é produtos, principalmente mercadorias que fazem parte da lista de itens básicos de sobrevivência. 

 

Ter um controle rígido de tudo que entra e sai do seu estoque vai lhe garantir tranquilidade para tomar as decisões mais assertivas e eficazes durante esse período sem que você tenha prejuízos financeiros e desperdício. 

 

Se até hoje você vinha negligenciando a gestão do seu estoque, essa opção não existe mais. Pare agora e dedique sua atenção para essa atividade que vai ser responsável por salvar a sua empresa e, de quebra, proporcionar que você lucre mais futuramente. 

 

AINDA NÃO ESTÁ CONVENCIDO? VEJA ALGUNS DADOS:

 

“Apenas para contextualizar um pouco, é fácil dizer que onde há operação e processos também existe grandes chances de perdas. De acordo com o manual Prevenção de Perdas no Varejo, do Sebrae SP, as origens desses gargalos são variadas, podendo se tratar de:

 

Perdas comerciais – São as perdas que ocorrem quando o produto não está disponível para venda (ruptura). Nessa categoria, as principais causas são: embalagens inadequadas, falha na reposição do produto na loja ou na entrega do fornecedor.

 

Perdas administrativas – Acontecem por falhas no gerenciamento da operação da loja. Erro de precificação, erro de cadastro de produto, desperdícios gerais (água, energia, telefone), deficiências na gestão de compras e estoques e dimensionamento incorreto dos recursos humanos para a operação da loja são exemplos de perdas administrativas.

 

Perdas de produtividade – São fruto da carência de padrões, controles e processos operacionais estabelecidos e disseminados, como desperdício de tempo e recursos em tarefas redundantes, retrabalho.

 

Perdas financeiras – As perdas financeiras advêm principalmente de assaltos e furtos (internos e externos), estelionato, deficiências nos meios de pagamento e oferta de crédito, pagamento duplicado, inadimplência e fraudes (cartões e cheques).

Perdas operacionais – Elas ocorrem durante a operação da loja e as principais causas são: armazenamento, estoque, movimentação inadequada de produtos, falhas no recebimento de mercadorias e falhas na operação do checkout.

 

Pense que o gerenciamento de estoque realizado de forma ineficiente pode fazer com que a sua loja perca vendas importantes e prejudique a imagem que ela tem no mercado. Muitas vezes, o cliente é indicado a visitar a sua loja por ter um produto específico e, se quando chegar lá não tiver mais, ele terá uma frustração que tornará difícil o seu retorno. Dessa forma, o controle de estoque pode ser considerado uma estratégia que gera vantagem competitiva para sua loja.” – Trecho do artigo COMO CONTROLAR O ESTOQUE E DIMINUIR AS PERDAS NO SEU NEGÓCIO?

 

E você já parou para pensar que em épocas de crise todas essas perdas apontadas estão ainda mais potencializadas? 

 

Existe uma grande possibilidade de vivermos um período de escassez de insumos, já que no cenário atual estamos lidando com muitas variáveis, que até o momento, estão fora de controle. Estamos falando de bolsa de valores, consequentemente preço do dólar, questões voltadas à importação e exportação de produtos, fronteiras sendo fechadas, trânsito de mercadorias sofrendo alterações e adaptações. 

 

E é por isso, que gerir de forma responsável o estoque do seu comércio vai te tirar do limbo das incertezas e te trazer clareza para tomar as medidas que precisam ser colocadas em prática agora. 

 

POR ONDE COMEÇAR? 

 

Faça um levantamento de tudo o que você possui em estoque 

 

Esse é o momento de traçar um panorama geral e trazer à tona a realidade sobre esse setor da sua empresa. Com esses dados em mãos, será mais fácil adotar as medidas corretas. 

 

Identifique a existência de cada grupo de produtos e sua real demanda nesse momento 

 

Por estarmos lidando com um momento de crise global, que envolve a saúde da população e acompanhando as medidas de quarentena que estão sendo exigidas, sabemos que a maior preocupação das pessoas, neste momento, está sendo com a compra dos produtos de necessidades básicas como alimentação e higiene.

 

O que significa que se você é um varejista que atende essa demanda, vai precisar estar atento ao que já tem em estoque e às eventuais necessidades de antecipar novas compras. 

 

Além disso, os produtos que por ventura terão menos saída, podem ser usados em promoções e liquidações de forma criativa como alternativas em algumas situações. Dessa maneira, você não fica no prejuízo e consegue fazer o capital girar. 

 

Aproxime-se de seus fornecedores

 

Agora é a hora de unir forças com seus fornecedores. Entre em contato com eles para entender como estão trabalhando nesse momento e para alinharem os próximos passos quanto à compra e recebimento das mercadorias. Assim, você não será pego de surpresa e poderá se programar. 

 

Observe o comportamento do consumidor

 

Agora é a hora de acompanhar o volume das compras de perto, dia após dia e de que forma ela está sendo feita. Assim, será possível identificar a real necessidade do seu cliente e criar formas de atendê-lo. Evitando não só a evasão das pessoas, mas também o desperdício com produtos que não estão tendo saída.  

 

Estoque de segurança

 

Seguindo os passos anteriores, você consegue criar um estoque de segurança, ou seja, garante que seu comércio esteja abastecido, de forma consciente, com os produtos que possuem maior procura. 

 

Faça a revisão do cadastro de produtos

 

De nada vai adiantar tanto esforço dedicado às medidas citadas anteriormente, se você em paralelo não se preocupar com a parte fiscal e tributária do processo. Não basta comprar e vender os produtos que a população precisa nesse momento, você deve ficar atento à tributação e impostos, pois eles também são responsáveis por lucros e prejuízos.

 

E para isso, cadastrar corretamente seus produtos pode ser um diferencial e tanto nesse momento. 

 

“Todos os produtos têm uma classificação fiscal comum, essa classificação é que identifica a tributação que determinado produto está submetido, é ela que indica as alíquotas do ICMS, PIS, COFINS e do IPI, se o mesmo está sujeito a substituição tributária, se é isento etc.

 

Para uma operação tranquila é necessário definir qual a destinação dos itens e sua utilização, que de forma geral podem ser categorizados como, mercadoria para revenda, matéria prima ou item para consumo. E muita gente erra nesse ponto.

 

Justamente para que a empresa não venha perder recursos financeiros pagando impostos indevidos, ou estar criando para si um passivo tributário que possa vir a ser cobrado futuramente pelo Fisco, quem já tem um estoque deve começar pela revisão de cadastro de produtos.

 

A Alerta Fiscal possui um sistema de revisão e classificação do cadastro de produtos, visando principalmente inibir o desperdício de recursos financeiros por ausência de verificações e controles internos adequados no departamento responsável. 

 

Algumas dos itens para a revisão e classificação do cadastro de produtos são: correção do NCM aplicado aos produtos; cadastro das operações por CFOP; correção do CSOSN; correção dos CST a serem utilizados nas vendas; adequação e atualização das alíquotas dos tributos e correção do CEST.

 

Com a revisão de cadastro você consegue saber onde estão os erros que drenam o caixa da empresa, como duplicidade de item no cadastro, vigência expirada, tributação incorreta, divergência no tipo do item, entre outros. “ – Leia mais sobre o assunto AQUI

 

Precisamos entender que as crises existem, mas acreditar que sempre há saídas para lidar da melhor forma possível com os aspectos que ela nos apresentam. Se você se dedicar à gestão de estoque de forma comprometida é bem provável que sua empresa não sinta tanto os impactos desse momento.

 

Se precisar de algum auxílio conte com a Alerta Fiscal e com os profissionais especializados em gestão de crise que disponibilizamos a qualquer momento. A hora de agir é agora. Não perca mais tempo.

 

Por Atracto


 

Você também pode gostar do artigo 5 DICAS PARA APRIMORAR A GESTÃO DO SEU MINIMERCADO