fbpx

Já percebemos que muita coisa mudou nos últimos meses em decorrência do surgimento do novo Coronavírus e isso inclui os novos hábitos de consumo dos clientes do varejo. Mas será que toda essa mudança permanecerá ou iremos notar uma retomada dos velhos padrões após a passagem da crise? 

 

Ainda é muito cedo para termos uma resposta concreta sobre como de fato as pessoas irão se comportar em variadas esferas pós-pandemia, inclusive no que diz respeito a forma de consumir produtos, mas algumas tendências já podem sim serem observadas. 

 

O que os empresários varejistas não podem deixar de ver é que independente do novo cenário, transformações comerciais já vinham ocorrendo, com a implantação de ferramentas tecnológicas como um dos grandes diferenciais do atual e futuro cenário.  

 

“Há um aumento crescente do comércio eletrônico e de tecnologia. O que antes era um complemento, hoje é fundamental para o desenvolvimento e sobrevivência dos negócios.

 

Esses e outros insights estão presentes em um estudo da KPMG sobre as tendências que afetarão o setor de varejo e a indústria nos próximos anos na América do Sul.

 

“Em linhas gerais, o consumidor foi empoderado: abandonou seu papel passivo e se tornou o epicentro em torno do qual o setor evolui e as empresas definem suas estratégias. Nesta realidade, há várias arestas que as empresas precisam aparar para terem sucesso”, afirma Fernando Gambôa, sócio-líder de Consumo e Varejo da KPMG na América do Sul.

 

De acordo com a pesquisa, as atuais circunstâncias globais fizeram dos consumidores mais conectados, informados, exigentes, engajados e conscientes. Os casos de sucesso já revelam que, no futuro, não haverá varejo sem tecnologia. O setor todo estará muito mais digitalizado.” – Fonte site Consumidor Moderno

 

NOVOS HÁBITOS DE CONSUMO – PALAVRA-CHAVE: ADAPTABILIDADE

 

Tem até uma música do cantor Lulu Santos com uma estrofe que diz assim: tudo muda, o tempo todo no mundo. E temos que concordar que é a mais pura verdade. Por isso, se você deseja que seu varejo esteja sempre em operação é preciso estar atento às tendências e mais do que isso, se adaptar à elas.

 

Sei que, muitas vezes, essa lógica pode parecer insana e exaustiva, mas é isso ou se tornar cada vez mais obsoleto, até que seu negócio deixe de existir. 

 

Mas fique calmo, a tecnologia surgiu para facilitar processos, inclusive as suas atualizações. Então talvez o seu grande passo rumo aos novos tempos, seja somente o primeiro, aquele que irá te inserir nesse novo contexto mercadológico.

 

O que deixará os próximos mais leves e fáceis. Mas de todo modo será preciso se dedicar à entender quais de fato são as transformações do seu setor para aí sim, começar o planejamento e a mudança necessária. 

 

E-COMMERCE COMO LINHA DE FRENTE DOS NOVOS HÁBITOS DE CONSUMO

 

Segundo a Agência Brasil um estudo realizado pela Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC) mostrou que os brasileiros aumentaram suas compras online, passaram a usar meios digitais de pagamentos e devem continuar com esses hábitos de compra e consumo no pós-pandemia. Segundo os dados, 61% dos clientes que compraram online durante a quarentena aumentaram o volume de compras devido ao isolamento social.

 

De acordo com o levantamento, em 46% dos casos esse aumento foi superior a 50%. O destaque foi para a compras de alimentos e bebidas para consumo imediato, que cresceram 79%. 

 

Conforme o estudo Novos Hábitos Digitais em Tempos de Covid-19, que entrevistou mil pessoas em todo o país, a crise do novo coronavírus fez com que a transformação digital do varejo se tornasse prioridade para poder manter os negócios em operação.

 

Segundo os resultados da pesquisa, depois de experimentarem o comércio eletrônico em novas categorias, os consumidores brasileiros indicam que estão mudando o comportamento de consumo, com 52% dos entrevistados comprando mais em sites e aplicativos durante a quarentena e 70% que pretendem continuar comprando mais online do que faziam antes da Covid-19.

 

“Está havendo uma mudança real de comportamento e empresas que conseguirem se relacionar bem com os clientes neste momento terão uma grande vantagem no pós-crise”, avaliou o presidente da SBVC.

 

POR ONDE COMEÇAR?

 

ACEITAR A MUDANÇA

 

É preciso em primeiro lugar aceitar que tudo vem se modificando e que mesmo sendo, muitas vezes, desafiadora, no final, as mudanças acabam sendo sempre para melhores. 

 

Lutar contra essa evolução natural do varejo, além de te trazer consequências negativas emocionais, como estresse, por exemplo, vai te gerar prejuízos financeiros significativos e uma provável falência.

 

Entenda que a mudança surge para todo o segmento e não só para a sua empresa e que assim como você, todos os empresários terão que se reinventar. Quando se absorve a necessidade da mudança sem resistência, todas as etapas da transição se tornam mais tranquilas. 

 

ENTENDA O COMPORTAMENTO DO SEU PÚBLICO

 

Este passo requer despender um tempo para estudo e pesquisa do seu mercado específico, quem é seu consumidor, onde ele está, quais são suas dores e desejos.

 

“Pontos que precisam ser levantados aqui: 

 

  • O que o cliente espera encontrar em sua loja;
  • Quais são suas principais frustrações e dores;
  • O que ele valoriza;
  • Liste as ações de seus clientes;
  • Se coloque no lugar do consumidor para entender como ele se comporta;
  • Identifique os obstáculos existentes.

 

FAÇA PESQUISAS

 

“Uma das melhores formas de saber a opinião dos seus clientes é… perguntando! Esse feedback pode ser obtido por meio de questionários, testes e avaliações, por exemplo.

Nesta etapa, é fundamental conduzir pesquisas apenas com clientes e prospects da sua empresa, uma vez que o objetivo é melhorar a experiência de pessoas que estejam interessadas no que você tem a oferecer.

 

Durante a pesquisa, algumas perguntas que podem ser feitas são:

 

  • Como você conheceu a empresa?
  • O que mais lhe chamou atenção em nosso site?
  • Quais são os problemas que você pretende resolver e como acha que a nossa empresa pode lhe ajudar?
  • Você já adquiriu algum de nossos produtos/serviços?
  • Você já entrou em contato com a equipe de atendimento ao consumidor? Se sim, qual foi sua avaliação do serviço prestado?
  • Qual foram os pontos positivos e negativos a sua experiência com a empresa?” – Trecho do artigo VAREJO SEM ATRITO: SAIBA COMO CONQUISTAR MAIS CLIENTES!

 

BUSQUE AS FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS CERTAS PARA O SEU VAREJO

 

Como mostramos no começo desse artigo o e-commerce está na linha de frente quando falamos em novos hábitos de consumo, logo investir nessa tecnologia tem se mostrado cada vez mais essencial para estar integrado no novo cenário e atender o consumidor.

 

Agora engana-se quem acha que e-commerce e loja virtual são a mesma coisa. 

 

O e-commerce é a estratégia de comércio online e a loja virtual uma ferramenta que pode ou não compor o planejamento que você irá desenvolver para o seu negócio.

 

E como saber disso? Fazendo o estudo sobre o comportamento do seu cliente, como orientamos aqui. 

 

Dessa forma você conseguirá identificar em quais plataformas digitais o seu cliente se encontra e a partir daí, escolher as melhores maneiras de inserir a tecnologia na sua rotina comercial. 

 

CONCLUSÃO SOBRE OS NOVOS HÁBITOS DE CONSUMO

 

Como as próprias pesquisas citadas mostram o consumo por produtos e serviços online, que já vinha crescendo, ganhou novos adeptos durante essa fase do Covid-19. Muitos deles, nunca sequer haviam feito uma única compra pela internet.

 

Pessoas tiveram que ultrapassar seus medos e inseguranças das transações online para preservar a sua saúde e das pessoas que amam. E com isso, descobriram que não se tratava de um bicho de 7 cabeças. 

 

Que consumir a qualquer hora, do conforto do seu lar tem muito mais benefícios do ônus, incorporando essa prática em suas vidas.

 

Por isso, mesmo que esse novo hábito desacelere após a pandemia, muito dificilmente haverá uma regressão ou estagnação, pelo contrário, ele seguirá um fluxo crescente e contínuo. 

 

As informações que compartilhamos com você aqui irão ajudar nessa jornada do novo varejo. Aproveite o momento de crise para alçar novos vôos. 

 

Por Atracto


 

Você também pode gostar do artigo INOVAÇÃO NO VAREJO: 5 DICAS PARA PERSONALIZAR O SEU NEGÓCIO