fbpx

Nunca foi tão importante olhar para a saúde financeira da sua empresa e desenvolver ações para redução de custos, afinal, estamos vivendo uma crise que nos apresenta, até o momento, um cenário incerto. Logo, aplicar medidas assertivas em seu negócio para equilibrar as contas é de extrema urgência. 

 

Mas não adianta ir aplicando iniciativas baseadas no desespero. Lembre-se que todas as ações tomadas agora irão repercutir positiva ou negativamente em um futuro bem próximo. E às vezes o que em um primeiro momento lhe parece economia, se não planejado, pode gerar prejuízos e perdas. 

 

Vamos te mostrar nesse artigo algumas tomadas de decisões que podem ser importantes para ajudar na redução de custo do seu negócio e no gerenciamento de crise:

 

FAÇA UMA ANÁLISE DETALHADA DA SUA EMPRESA 

 

Como mencionamos anteriormente não é o momento de tomar decisões movidas pela emoção e desespero. Entenda que sua empresa funciona como uma rede e que ela executa diariamente muitos processos para estar funcionando. Se você age em um braço específico da cadeia, sem ter uma visão geral, pode simplesmente acabar com a produtividade do seu negócio.

 

Agora é hora de olhar para o todo, entender definitivamente como sua empresa funciona e quais as etapas do sistema estão interligadas, para aí sim, começar a pensar nas possibilidades. É o que chamamos de olhar 360º. Afinal, sua empresa é composta por vários setores como compra, vendas, recursos humanos, financeiro, logística, entre outros. 

 

Sente com os responsáveis de cada setor para fazer um levantamento geral da rotina de trabalho, para entender onde a energia está sendo posta diariamente, assim será possível verificar a possibilidade de mudanças de postura ou simplesmente eliminação de alguma etapa do processo que é feita hoje. 

 

FAÇA UMA ANÁLISE DA SAÚDE FINANCEIRA

 

Depois que você fez um levantamento geral para entender como seu negócio produz no dia a dia é a hora de aprofundar e fazer uma análise detalhada da saúde financeira do seu negócio, só com esse panorama será possível entender em que nível você está trabalhando e começar a desenvolver estratégias para, de fato, reduzir os custos. 

 

De acordo com o Sebrae todo empreendedor que deseja conduzir com sucesso um negócio próprio precisa familiarizar-se com o fato de que toda e qualquer ação realizada na empresa, quer seja com propósitos operacionais, administrativos, técnicos ou comerciais, apresentará reflexos na estrutura e no desempenho econômico e financeiro do empreendimento.

 

A análise financeira através do monitoramento dos fatos e dos resultados, bem como, do planejamento, deve tornar-se uma ação gerencial estratégica constante do empresário. 

Devem ser tratados com grande relevância os seguintes pontos:

 

  • Equilíbrio econômico e financeiro;

 

  • Crescimento;

 

  • Indicadores econômicos.

 

INVISTA EM UM SOFTWARE TRIBUTÁRIO 

 

“Estamos falando de uma aplicação com retorno garantido e que com certeza tem um valor empregado muito menor do que está imaginando. 

 

Primeiro, precisamos te lembrar que sua empresa responde por muitas obrigações fiscais e tributárias e que existem prazos limites para a entrega de declarações. E que o não cumprimento dessas determinações geram autuações realizadas por órgãos fiscais como por exemplo a Receita Federal e fisco. E consequentemente, multas e prejuízos financeiros. 

 

Além disso, estamos falando de Brasil, o país com números elevados de leis e com uma frequência altíssima de mudanças e ajustes em suas regras. Para se ter uma ideia, hoje existem mais de 41 mil leis tributárias vigentes em todo país e uma média de 46 delas sofrem alterações diariamente. 

 

Ou seja, é bem provável que você tenha uma certa dificuldade de acompanhar todas essas mudanças em tempo real e ainda consiga aplicar cada uma delas em todas as suas obrigações tributárias que devem ser entregues durante todos os meses. 

 

E isso vai ser independente do tamanho da sua empresa, sendo assim, não importa se você é um micro ou pequeno empreendedor, podemos te garantir que as dificuldades encontradas serão as mesmas de um negócio de grande escala. 

 

E uma das consequências que atingem de forma direta os empresários, além da fiscalização, é o pagamento de impostos a maior – ou seja, pagamento de impostos além do que realmente é devido. Isso alcança cerca de 95% das companhias. É mais desperdício financeiro e mais prejuízo para contabilizar. E isso tudo pode ser evitado com a utilização das ferramentas corretas em sua empresa. 

 

E é aí que entra o software de revisão tributária, mas primeiro vamos entender o que isso significa.

 

VANTAGENS DE INVESTIR EM UM SOFTWARE TRIBUTÁRIO 

 

Redução de Riscos;

 

Identificação de benefícios fiscais;

 

Planejamento tributário e de preços.” – Leia mais sobre o assunto no artigo AS VANTAGENS DE INVESTIR EM UM SOFTWARE DE REVISÃO TRIBUTÁRIA

 

CLASSIFIQUE CORRETAMENTE SEUS PRODUTOS 

 

Os produtos são as estrelas do setor varejista, afinal, são eles os responsáveis por seu negócio existir, prosperar e obter lucros. Mas muito se engana, o empresário que pensa que apenas comprar um produto por X e revender por 2X será o suficiente para contabilizar uma receita positiva no final do mês.

 

Como vimos anteriormente, o Brasil é um país cheio de regras e burocracias e elas estão diretamente ligadas aos tributos gerados na comercialização de mercadorias, sejam elas, de qualquer espécie. E classificar corretamente os produtos que fazem parte do seu segmento de negócio será fundamental para cumprir com seu objetivo de reduzir custos, e claro, de estar sempre em conformidade com a lei. 

 

A metodologia da classificação fiscal de produtos foi desenvolvida com o objetivo de padronizar as mercadorias colocando-as em grupos, dessa forma fica mais fácil a definição de taxas, bem como a fiscalização feita pelos órgãos responsáveis.

 

Assim funciona o procedimento do Sistema Harmonizado de Classificação de Mercadorias, ele normaliza a descrição de produtos e mercadorias e define alguns critérios de tributação. É a partir do código presente na tabela do Sistema Harmonizado (SH) que se define também o código NCM (Nomenclatura Comum do Mercosul) – valor numérico de 8 dígitos que descreve e detalha determinado produto e atribui a ele as alíquotas dos impostos aplicáveis, como ICMS, IPI, PIS e Cofins, por exemplo. 

 

A etapa de classificação de produtos é obrigatória e não basta apenas classificar, você precisa fazer isso de forma correta, de acordo com as informações determinadas e presentes por exemplo, na tabela NCM. O não cumprimento desta obrigação poderá gerar muita dor de cabeça e prejuízos como multas pesadas e autuações fiscais.  

 

Além de poder resultar em uma tributação errada, ou seja, mais prejuízos financeiros em função das possíveis penalizações, ou, ainda, provocando um pagamento de tributos superior ao que seria aplicável à classificação correta.

 

Então se você ainda não havia olhado com seriedade para essa questão, chegou a hora! 

 

CONTE COM A AJUDA DE ESPECIALISTAS 

 

Quando falamos em redução de custos, estamos dizendo em tomada de ações assertivas para minimizar prejuízos, principalmente em momentos de crise. Infelizmente não é o momento para ficar trabalhando com tentativa e erro, isso, além de fazer com que você perca tempo, fará também com que você dependa de um orçamento que no momento não está podendo ser desperdiçado.

 

Por isso, contar com a ajuda de uma empresa especializada e de profissionais qualificados será o melhor investimento que você pode fazer. A Alerta Fiscal pode te ajudar em todas as etapas do processo citadas anteriormente para que você atinja seu objetivo de equilibrar as contas e diminuir gastos desnecessários. Fale com a gente e comece hoje a reescrever a história da sua empresa.

 

Por Atracto


 

 

 

Você também pode gostar do artigo TECNOLOGIA NO VAREJO: 5 DICAS PARA VENDER MAIS