fbpx

Se você pensa em abrir um comércio ou já possui, mas anda perdido sobre a melhor maneira de precificar o que comercializa esse artigo é para você. Vamos mostrar aqui como calcular para vender um produto de forma a obter lucros reais em cada transação, de maneira simples, direta e eficaz. 

 

Normalmente o que observamos são empresários definindo o preço de vendas de suas mercadorias com base no valor de compra, acrescentando uma porcentagem que considera satisfatória para obter uma quantia determinada de lucro. 

 

E é aí que está um dos maiores erros, uma vez que para fazer esse cálculo, muitas outras variáveis precisam ser levadas em conta. 

 

Como calcular para vender um produto: Entendendo o que significa preço de venda

 

Para começar a fazer qualquer cálculo é preciso que você entenda como o preço de venda é construído, pois dessa forma, ficará mais fácil trabalhar e definir valores.

 

De uma forma bem resumida o preço de venda nada mais é que o valor cobrado aos seus clientes por cada item adquirido. E esse, deve cobrir todos os custos gerados para viabilizar sua chegada até a sua empresa. 

 

Além do preço de compra, falamos aqui de tributos aplicados, transporte, armazenamento, entre outros quesitos. Existe uma “fórmula simples” que pode te ajudar nesse processo:

 

CUSTOS + DESPESA + LUCRO = PREÇO DE VENDA.

 

Entenda melhor cada item:

 

Custos – Valor pago aos seus fornecedores. Quanto sua empresa gasta para ter o produto que irá oferecer aos seus consumidores. 

 

Despesa – Podem ser de vendas e/ou administrativas. É quanto sua empresa gasta para vender o produto.

 

Lucro – É o retorno pela venda do produto. 

 

É muito importante que você tenha esses valores especificados, pois se há um custo muito alto para aquisição e disponibilização de determinada mercadoria, seu preço de venda, consequentemente ficará muito alto, tirando-a automaticamente da concorrência. O que vai te gerar queda nas vendas e prejuízos. 

 

CUSTOS FIXOS E CUSTOS VARIÁVEIS

 

Por isso, é importante você saber que dentro de uma organização empresarial sempre existirão os custos fixos e variáveis e que eles influenciam diretamente o preço de vendas de qualquer produto que você tenha dentro da sua loja. 

 

Custos Variáveis

 

Os custos variáveis são diretamente influenciados pela quantidade de vendas dos produtos. 

 

Exemplos:

 

– Embalagem. Quanto mais produtos mais quantidade de embalagem;

 

– Produtos para revenda;

 

– Quando a empresa fabrica o próprio produto que irá vender, quanto mais produtos a serem fabricados, mais matéria prima será preciso comprar;

 

– Custo de frete/entrega, quanto mais produtos a serem enviados mais fretes a pagar.

 

Custos Fixos

 

Já os custos fixos são aqueles que irão existir independente da quantidade de vendas que você realiza, ou seja, você pode vender 100 produtos ou 0 produtos, esses valores estarão ali para serem pagos. 

 

Exemplos:

 

– Aluguel;

 

– Conta de telefone;

 

– Luz e água;

 

– Manutenção;

 

– Despesas administrativas;

 

– Propaganda; 

 

– Pró-labore;

 

– Salários;

 

– Outros.

 

“Os custos fixos se subdividem em ‘diretos e indiretos’, como podemos ver a seguir:

 

  • Custos diretos: são aqueles que estão diretamente ligados à produção ou aquisição do produto, sem necessitar de algum tipo de rateio para ser atribuído ao valor. Por exemplo, sua empresa compra um produto acabado para revendê-lo ou custo da matéria-prima, mão de obra, insumos, depreciações de máquinas. Esses custos são os mais fácies de se identificar;

 

  • Custos indiretos: são gastos que necessitam rateios e divisões para serem atribuídos ao custo final. Por exemplo, o valor gasto de um abastecimento do carro para buscar itens no fornecedor, manutenção, limpeza, almoxarifado, logística, energia elétrica, alimentação e todos os demais gastos de fabricação que não incidem diretamente sobre o produto em si.

 

Enfim, a partir do conhecimento e da identificação de todos esses gastos de sua empresa, já é possível calcular o custo de um produto. A operação é simples, conforme abaixo:

 

CD (Custos Diretos) + CI (Custos Indiretos) + CF (Custos Fixos) + CV (Custos Variáveis) = CT (Custo Total).” – Fonte Sebrae

 

Como calcular para vender um produto: Software de gestão tributária como aliado

 

Com a utilização de um software de gestão tributária você ganha um braço direito para te guiar em como calcular para vender mais e de quebra se beneficia de inúmeras vantagens. Entenda como ele pode te ajudar: 

 

REDUÇÃO DE RISCOS 

 

“Logo de cara você já se beneficia com a possibilidade de poder identificar, calcular, mensurar e diminuir riscos na esfera tributária. Uma vez que o recolhimento de tributos obrigatórios, está, ou pelo menos deveria, no seu planejamento financeiro. Isso vai de encontro com a redução de prejuízos e da chance de penalidades fiscais.

 

IDENTIFICAÇÃO DE BENEFÍCIOS FISCAIS 

 

Ta aí uma palavra que gostamos de ler: benefícios! E eles existem, sim, e estão à sua disposição para serem utilizados. Mas você só conseguirá identificar os créditos fiscais aos quais tem direito se fizer uma revisão tributária eficiente em seu negócio. Não aproveitar essa vantagem, também significa perder dinheiro. 

 

PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO E DE PREÇOS 

 

O planejamento tributário permite que você tenha uma visão 360º da sua empresa e consiga identificar os pontos cegos que vão exigir mais dedicação. 

 

Além disso, o uso da ferramenta também vai te alimentar com dados suficientes para que você consiga ter um panorama muito melhor no momento de comprar, e principalmente, de vender seus produtos, ajudando a precificar cada mercadoria. mantendo assim, um equilíbrio saudável entre saída e entrada de receita. 

 

Agora você deve estar se perguntando: além de investir em um software de revisão tributária eu preciso ter alguém especializado para executar essa tarefa? E a resposta é SIM! De nada vai adiantar ter a ferramenta se não existir a mão de obra qualificada para tirar o melhor proveito de todos os recursos que ela oferece.

 

Nossa dica de ouro é contar com a ajuda de uma assessoria fiscal e tributária especializada como a Alerta Fiscal. E pode ter certeza que investir nesse combo é algo muito mais acessível do que você imagina. Entenda as vantagens: 

 

O trabalho executado envolve de forma geral soluções fiscais e tributárias e englobam todo o processo desde análise inicial, traçando caminhos e apontando pontos de melhorias. 

 

Além de auxiliar na difícil tarefa de manter suas informações de produtos e, 

consequentemente, suas obrigações fiscais atualizadas e corretas elaborando um levantamento completo das necessidades para classificação correta de produtos e auditoria nas notas fiscais e demais documentos.” – Trecho do artigo AS VANTAGENS DE INVESTIR EM UM SOFTWARE DE REVISÃO TRIBUTÁRIA.

 

Por Atracto

 

Você também pode gostar do artigo Saúde financeira: Dicas para reduzir os custos assertivos do seu negócio.