fbpx

Você sabe como escolher um software de gestão para mercado? Sabe exatamente qual a sua função dentro da rotina de um varejo? E quais são as informações que devem ser levadas em conta na hora de optar por um sistema que atenda o seu perfil de negócio? 

 

Está cada vez mais claro para os empresários a necessidade da implementação de ferramentas eficientes para otimizar e facilitar a gestão de suas empresas, mas o que percebemos é uma dificuldade na escolha diante de tantas opções disponíveis no mercado. 

 

O que traremos aqui neste artigo são algumas diretrizes para facilitar esse processo de seleção e o que de fato fará diferença nos resultados obtidos a partir da utilização dessa tecnologia. 

 

GESTÃO PARA MERCADO: EXPLICANDO A FERRAMENTA 

 

Quando falamos de um software de gestão para mercado, estamos falando basicamente da implantação de um sistema de ERP em seu varejo. 

 

“O ERP (Enterprise Resource Planning) ou Sistema de Planificação de Recursos Empresariais é um software desenvolvido para planificar ativos e passivos, integrando os departamentos da empresa numa só plataforma de registro e controle. 

 

Esse sistema opera coletando e centralizando os dados financeiros da empresa, gerando a partir desses números as informações que irão alimentar o processo decisório da companhia, com o objetivo de aumentar a eficiência do negócio.

 

O ERP NO VAREJO

 

Com processos que compreendem desde a compra de itens para revenda ou insumos, passando por entrada e controle de estoque,  manutenção do cadastro de produtos, controle de créditos fiscais, pagamento de tributos correspondentes, disposição nos pontos de vendas, e indo até o faturamento no ponto de venda, o comércio varejista depende da operação do ERP em praticamente todos os pontos de sua operação. 

 

Para cada uma dessas etapas, há uma série de dados sendo gerados e acompanhados, para garantir organização, excelência, destaque e sustentabilidade do negócio. 

 

O ERP garante a padronização dos procedimentos e agilidade no acesso à informação, além de possibilitar mensuração de vendas, controle de estoque em tempo real, gestão de contas a pagar e a receber, de obrigações fiscais, e do capital humano – dentre outras inúmeras funções que podem ser agregadas.” – Trecho do artigo Segredos do ERP para varejo. 

 

 

COMO ESCOLHER UM SOFTWARE DE GESTÃO PARA MERCADO

 

Agora que você já entendeu um pouco mais para que serve um sistema de ERP dentro do varejo, vamos falar sobre alguns pontos importantes que precisam ser observados no momento de fazer a escolha. 

 

ENTENDA SUAS NECESSIDADES

 

O primeiro passo é entender a dinâmica de funcionamento do seu negócio e qual, de fato, é sua necessidade para uma gestão eficaz. 

 

Isso porque, um mini mercado localizado em um bairro, terá uma demanda muito menor do que uma rede de supermercados com 10 filiais espalhadas pelo país, por exemplo. 

 

E na prática isso fará toda a diferença, inclusive, quando falamos de valor investido na implantação do sistema. 

 

Analise quais são as questões que precisam ser resolvidas com prioridade para começar a pesquisar um produto que atenda essa lacuna organizacional. Tendo essas informações em mente, sua busca se tornará mais fácil e fluida. 

 

ESCOLHER UM SISTEMA NACIONAL PODE SER UMA GRANDE VANTAGEM

 

Quando você opta por um sistema de gestão para mercado desenvolvido nacionalmente, garante a vantagem dele já estar alinhado com todas as regras fiscais exigidas no Brasil. 

 

Isso irá minimizar erros e consequentemente prejuízos financeiros decorrentes de multas, autuações e pagamentos incorretos de impostos. Lembrando que a carga tributária brasileira é das mais altas do mundo, e que o compliance no Brasil é extremamente complexo, então fique atento a esses detalhes. 

 

OBSERVE A ESTRUTURA

 

“Qual será a estrutura necessária para utilizar o software?

 

É importante avaliar os equipamentos necessários para a utilização do sistema de gestão. Esse quesito pode variar muito de software para software, principalmente porque atualmente existem vários sistemas em nuvem, que não exigem um servidor local, possibilitando economia.

 

Se você é um supermercadista com uma loja e for optar por um sistema simples, a opção do software totalmente em nuvem é excelente.” – Fonte site Infovarejo. 

 

Mas se seu caso for de um supermercado maior, com uma operação mais complexa, a contratação da própria nuvem, e de um sistema que rode na sua própria base de dados tem suas vantagens, como maior capacidade de customização e escalabilidade. 

 

VERIFIQUE SE O SISTEMA POSSIBILITA A INTEGRAÇÃO COM UM SOFTWARE DE CADASTRO DE PRODUTOS

 

Como citado no ítem anterior a probabilidade de autuações devido à tributação incorreta é latente é mais comum do que muitos empresários imaginam.

 

Quando falamos em sistema para mercado, não podemos deixar de fora softwares de cadastro de produtos, afinal eles são fundamentais para organizar o fluxo de tributação e impostos dentro da sua empresa. 

 

Por isso, é preciso que o ERP contratado garanta que integrações com outras ferramentas sejam possíveis de ser executadas. 

 

GESTÃO PARA MERCADO E CADASTRO DE PRODUTOS

 

Para que qualquer negócio atinja o sucesso que você, empresário, tanto deseja é preciso conhecer os passos que são essenciais para o seu nicho de mercado. 

 

Até aqui te explicamos sobre o que é e qual a importância de implementar um sistema de ERP em sua empresa. Além de algumas dicas importantes para que você possa escolher o produto que melhor se encaixa no perfil do seu negócio. 

 

E como pode observar no último ítem falamos sobre a integração do ERP com um software de auditoria e atualização do cadastro de produtos. 

 

Tudo porque é de suma importância que o seu varejo faça uso dessa ferramenta para se manter em conformidade com as regras fiscais e consequentemente não contabiliza prejuízos financeiros decorrentes de tributações erradas. 

 

“O cadastro de produtos deve ser feito bem no começo da atividade da empresa, seja varejo, atacado ou indústria. Nesse início é necessário definir qual a destinação dos itens e sua utilização, que de forma geral podem ser categorizados como, mercadoria para revenda, matéria prima ou item para consumo, entre outros quesitos. 

 

Os produtos têm identidade perante o fisco de acordo com seu NCM e descrição. Então, fique atento!

 

O principal benefício é a tributação correta dos itens o que irá gerar uma apuração fiscal mais organizada e assertiva. O NCM é o identificador para determinar qual serão os tributos que incidirão nas operações de entrada ou saída da empresa nestes itens (lembre-se que os tributos recorrentes são PIS, COFINS, IPI, IRPJ, CSLL e ICMS).

 

Acertar nesse ponto acarreta dados mais confiáveis de desempenho, como vendas e lucro. Essas informações permitem, por exemplo, combater a ruptura de itens importantes e diminuir estoques daqueles com desempenho inferior. Não é à toa que falamos que vale investir em um sistema que acompanha tudo isso!

 

O cadastro vai além de ser só um registro dos produtos a serem vendidos na loja. Ele é fundamental na estrutura mercadológica, por isso deve seguir o critério de compra do supermercadista nas diversas categorias. 

 

Um cadastro eficiente e atualizado antecipa tendências e revela problemas muitas vezes difíceis de visualizar, o que acaba deixando a empresa exposta a riscos desnecessários. Um deles é a falta de conformidade com a legislação!” – Saiba mais sobre cadastro de produtos e revisão tributária clicando AQUI

 

Ou você também pode conversar com um dos especialistas do time da Alerta Fiscal que está disponível para tirar todas as suas dúvidas sobre a ferramenta utilizada para cadastro de produtos e revisão tributária, além de sua integração com os mais variados ERPs disponíveis no mercado. 

 

A gestão para mercado assertiva começa com a escolha das melhores ferramentas. E a hora é agora! 

 

Por Atracto


 

Você também pode gostar do artigo CADASTRO DE PRODUTOS: FAÇA CERTO OU PERCA DINHEIRO!